Banho de ouro de qualidade: Entenda o que é

Você sabe o que é o banho de ouro utilizado em semijoias? Conheça um pouco mais sobre este processo e o que determina o qualidade de uma semijoia.

Você sabe o que é o banho de ouro utilizado em semijoias? Conheça um pouco mais sobre este processo e o que determina o qualidade de uma semijoia.


Se você já buscou algum acessório na internet, já deve ter se deparado com o termo “Banhado a ouro”, e provavelmente imaginou que a peça era mergulhada em um pote com ouro derretido e depois era colocada para secar, certo?!

Mas a verdade é que o processo de banhar uma peça a ouro é algo totalmente químico, diferente do que a maioria das pessoas imaginam. Vamos nos aprofundar nesse tema abaixo, então reserve alguns minutinhos para essa leitura de extrema importância, para você que quer entender mais sobre peças banhadas a ouro, e nunca mais errar na hora de fazer a sua compra, sabendo quando o produto é de qualidade baixa e quando a semijoia é de alta qualidade.

O banho de ouro

O processo de banhar uma peça ou objeto de ouro, se chama Galvanoplastia, mas também é conhecido como eletrodeposição metálica e/ou galvanostegia. Este é o nome do processo eletroquímico utilizado para revestir um objeto que pode ser de metal ou até mesmo de PVC (plástico) com uma camada de outro metal, que no caso das semijoias é o Ouro. Levando a peça a ter o mesmo aspecto visual que uma joia genuína.

Curiosidade: O primeiro registro histórico científico de Galvanização ocorreu em 1742 quando um químico Francês, J. P. Malouin. O nome Galvanização provém da Língua Francesa e tem origem no nome do cientista Italiano Luigi Galvani que descobriu o efeito Galvânico em metais. A galvanização acontece por meio da eletrólise (processo que transforma energia elétrica em química) ou da imersão de um metal no outro.


Como é realizada a Galvanoplastia?

Esse processo acontece em três etapas:

• Pré-tratamento: a superfície da peça metálica a ser revestida é preparada, num processo que pode ser marcado por ações como escovação, lixamento, polimento, decapagem e jateamento em busca de remover as imperfeições da peça;

Pré-tratamento: a superfície da peça metálica a ser revestida é preparada, num processo que pode ser marcado por ações como escovação, lixamento, polimento, decapagem e jateamento em busca de remover as imperfeições da peça;

• Tratamento: essa mesma peça é submetida a um ou mais banhos metálicos com o objetivo de alcançar uma fina camada de metal. Nessa etapa, o metal é conectado ao polo negativo de uma fonte de corrente contínua (cátodo), onde acontece o processo de deposição metálica de camadas de Cobre e também de Ouro, em tanques cheios de soluções químicas.

Tratamento: essa mesma peça é submetida a um ou mais banhos metálicos com o objetivo de alcançar uma fina camada de metal. Nessa etapa, o metal é conectado ao polo negativo de uma fonte de corrente contínua (cátodo), onde acontece o processo de deposição metálica de camadas de Cobre e também de Ouro, em tanques cheios de soluções químicas.

• Pós-tratamento: processo que envolve a lavagem, com água fria ou quente, a secagem, e no caso de semijoias de alta qualidade, é acrescentado uma proteção extra de verniz protetor.

Pós-tratamento: processo que envolve a lavagem, com água fria ou quente, a secagem, e no caso de semijoias de alta qualidade, é acrescentado uma proteção extra de verniz protetor.

A grande diferença entre uma joia de ouro e uma peça banhada a ouro, é que a joia é produzida inteiramente com o metal nobre Ouro (em alguns casos pode conter mistura de outros metais variando os seus quilates: 18k, 16k, 14k, etc). 

Já a semijoia é uma peça bruta que pode ser feita de metal Tombak (latão) ou de plástico (PVC), e esta peça bruta recebe algumas camadas de metais intermediários como o Cobre ou até mesmo o Bronze, e depois é depositado algumas camadas de ouro em sua superfície de acordo com o tempo que a peça ficará exposta ao metal nobre. O tempo que a peça fica exposta ao Ouro durante o processo de galvanoplastia é o que determinará quantos milésimos de Ouro a peça terá.

A quantidade de ouro em uma semijoia é muito menor do que a de uma joia feita inteiramente de ouro, o que justifica a diferença de custo de uma peça para a outra.


Mas afinal, o que são os milésimos de banho de ouro?

Como explicado acima quanto maior for o tempo de exposição de uma peça ao ouro, maior será o milésimo aplicado na peça. A quantidade dos milésimos de ouro aplicadas em uma peça, está diretamente ligada a qualidade da mesma. São os milésimos de ouro aplicados que classificam e diferenciam uma bijuteria de uma semijoia.

Abaixo você confere uma tabela sobre a classificação dos banhos de ouro:

Quantidade
Qualidade
1 a 2 milésimos
banho com baixa durabilidade
3 a 4 milésimos
banho com boa durabilidade
5 a 7 milésimos
banho com ótima durabilidade
8 a 10 milésimos
banho com excelente durabilidade
As bijuterias são peças que recebem apenas uma quantidade tão pequena de ouro, que em muitas vezes quase não é percebido a coloração dourada do Ouro. O processo de banho de bijuterias é conhecido como “Flash” quando o mesmo tem uma quantidade abaixo de 1 milésimo de ouro.

Então quer dizer que para uma semijoia ser de qualidade ela precisa ter 10 milésimos de ouro?

A resposta para esta pergunta é: Sim e Não, e já vamos te explicar o porquê!

O fato de uma semijoia ter 10 milésimos de ouro aplicada em sua superfície, com certeza faz dela uma peça com maior qualidade. Porem existe um fator que você deva levar em consideração, antes de pré-estabelecer um julgamento sobre a qualidade. A semijoia tem muito contato com atrito corporal?

Por exemplo: Correntes, anéis, pingentes, pulseiras e tornozeleiras, são peças que tem um contato direto no corpo, ou seja, sofrem atritos maiores de acordo com os movimentos da pessoa. No caso dos anéis, a sua base que fica do lado interno da mão, geralmente é a parte que mais sofre desgastes, pois as pessoas usam a mão para pegar coisas, para usar celulares, para muitas outras finalidades, o que leva o anel a ter uma fricção maior, e consequentemente desgastando o seu banho de ouro.

Os anéis sempre estão com sua base em contato direto com algum objeto, por isso devido ao atrito diário o banho de ouro pode se desgastar com o tempo.
Os anéis sempre estão com sua base em contato direto com algum objeto, por isso devido ao atrito diário o banho de ouro pode se desgastar com o tempo.
Então estas peças com certeza demandam de uma quantidade maior de ouro, para resistir a todo este atrito corporal diário. Por isso é muito importante sempre cuidar bem das suas semijoias, evitando contato com produtos químicos e também, removendo elas antes de dormir. Por isso você tem um papel importante na durabilidade das suas semijoias, pois estes desgastes podem ser evitados preservando o banho da sua semijoia.

Já os brincos, por exemplo, são peças que tem pouco atrito corporal. Exigindo uma quantidade menor de milésimos de ouro na sua superfície, pois o banho não irá receber desgastes com a movimentação do corpo.

Os brincos, por exemplo, são peças que tem pouco atrito corporal. Exigindo uma quantidade menor de milésimos de ouro na sua superfície, pois o banho não irá receber desgastes com a movimentação do corpo.

Então só o banho de ouro é o que diferencia a qualidade de uma semijoia?

Não, outro fator que deve ser levado em consideração, é a qualidade da peça bruta, este é um outro aspecto que deve receber sua atenção. Muitas vezes as pessoas não se importam como a peça é internamente, mas isso faz toda a diferença na qualidade final da sua semijoia.

Como citamos acima, no processo de Galvanoplastia, uma peça de plástico pode receber o banho de ouro, assim como uma peça de metal como o Tombak.

Semijoias de plástico são menos resistentes, isso influencia diretamente na qualidade final do produto.
Semijoias de plástico são menos resistentes, isso influencia diretamente na qualidade final do produto.
Com certeza a peça bruta de metal influenciará diretamente na qualidade, pois as chances de quebrar são bem menores. Por isso muitas vezes você encontrará uma diferença de preço entre semijoias muito parecidas. A diferença além de estar no banho, também estará na sua estrutura. Por isso fique sempre atenta a este detalhe na hora de comprar a sua semijoia!

Se você chegou até aqui e está com curiosidade sobre qual é a qualidade das semijoias da Miguel Semijoias. Vamos deixar aqui abaixo os nossos diferenciais e o porque nossas peças são tão amadas por quem usa.

Todas as semijoias da Miguel Semijoias tem como metal base de sua forma bruta, o Tombak e metais de alta fusão. Pois entendemos que para uma peça ser digna de ser intitulada de qualidade, ela deve oferecer uma grande resistência desde a sua estrutura. Na Miguel Semijoias as peças recebem um banho de 10 milésimos de ouro, e os brincos recebem um banho de 3 milésimo, mantendo o padrão de qualidade elevado.

Processo de banho de ouro da Miguel Semijoias

Porem temos como um grande diferencial em nosso banho de ouro, o metal Paládio. Que é acrescentando durante o processo de galvanoplastia.  O paládio é um metal nobre, assim como o ouro. Ele aumenta a resistência da peça contra alergias de pele.

Poucas empresas oferecem um banho de ouro com este elemento, pois é uma tecnologia nova no mercado e muito cara, devido a este metal ser tão caro quanto o ouro. Também é acrescentado uma camada extra de Verniz Diamond, que protege as semijoias banhadas em ouro amarelo, para aumentar o seu brilho e resistência.

Camadas de banho de ouro da Miguel Semijoias

Agora que você conhece mais sobre a qualidade do banho de ouro, busque sempre questionar a procedência das peças que você compra. Para você não errar na compra, vá de Miguel Semijoias e conte sempre com peças de procedência e que atendem os critérios de qualidade, com o que há de melhor no mercado.

Fontes: Wikipédia, Resumo Escolar

Leia também:

0 comentários